Home » Notícias » Movimentação do Porto de Paranaguá cresce em 2017

-

12
março
2018
Sem comentários.

Movimentação do Porto de Paranaguá cresce em 2017

Movimentação de cargas do Porto de Paranaguá cresceu praticamente o dobro da média dos portos brasileiros em 2017.

Com total de 51,5 milhões de toneladas de carga importadas/exportadas representando um aumento de 14,2% nas operações, o Porto de Paranaguá destacou-se como um dos maiores crescimentos entre os portos brasileiros no ano passado. A média nacional para o mesmo período foi de 8,3% de crescimento, com a soma de tudo o que foi movimentado por todos os portos brasileiros atingindo 1,08 bilhão de toneladas de carga.

Desde 2011, já forma investidos mais de R$ 624 milhões em melhorias operacionais como a dragagem dos canais de acesso e berços de atracação do porto e a reforma do cais que permitiram operações maiores e mais pesadas além da troca dos shiploaders que incrementou em 33% a capacidade de embarque do Corredor de Exportação, que bateu recorde de movimentação com 17,4 milhões de toneladas escoadas.

Evolução do Crescimento da Movimentação

O crescimento na movimentação de vários produtos também foi superior no Porto de Paranaguá em comparação aos demais portos brasileiros.

O embarque de soja, principal commodity agrícola exportada pelo Brasil e por Paranaguá, teve crescimento de 32% na média nacional e de 43% no porto paranaense.

A movimentação de cargas gerais, que geralmente são produtos de maior valor agregado e que envolvem uma cadeia produtiva mais complexa, cresceu 7,6% na média nos portos brasileiros e 8,2% em Paranaguá.

Já a operação de granéis líquidos teve uma diferença ainda maior. No Brasil, o aumento foi de 3,8% e no Porto de Paranaguá foi de 28%, sete vezes superior à média nacional. Dentro desse grupo de cargas, a movimentação de derivados de petróleo em Paranaguá também foi um destaque: 34% de alta enquanto os demais portos tiveram crescimento de 3%.

Fonte: Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq)

 

Já conhece nosso e-book sobre Incoterms e como aplica-los nas suas operações? clique aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar isso!