Artigo

Por que a disputa econômica entre China e Estados Unidos reflete nas relações comerciais do Brasil?

26 de março de 2019
Blog > Por que a disputa econômica entre China e Estados Unidos reflete nas relações comerciais do Brasil?

China e Estados Unidos estão entre as duas maiores economias do mundo atualmente. Desde o ano passado, as potências travaram um certame comercial que impacta nos negócios de vários países parceiros, entre eles, o Brasil.

-Integração Econômica

O que antes conhecíamos como ‘globalização’ hoje é compreendido como um contexto de ‘economias integradas’, expressando que economias de diferentes países se reúnem numa macro região econômica mais ampla. De modo a facilitar acordos comerciais entre empresas do mercado externo e os processos de livre circulação de produtos e serviços.

Essa integração econômica fortalece e proporciona um melhor desempenho nas economias nacionais frente as dificuldades encontradas nos fluxos globais de comércio. Isso porque essa relação faz parte da estrutura atual do sistema multilateral de comércio, onde se regulam as trocas de bens e serviços no âmbito internacional.

Por consequência, gera-se uma interdependência econômica e comercial entre diferentes países. E é nesse momento que o Brasil entra na história.

  • Eua x China

Por um lado, temos Trump preocupado com os desníveis da balança comercial americana e adotando soluções protecionistas. O que dificulta a importação de produtos e a livre concorrência de países estrangeiros através das taxações.

Por outro lado, temos a China, representante de um dos PIB’s que mais crescem anualmente, além de ser grande exportadora de tecnologias. Torna-se, portanto, uma forte concorrente com o país americano, cujo principal sinal de ameaça ficou evidente nas retaliações trocadas entre China e Estados Unidos.

O desfecho mostra que as despesas cresceram, principalmente de commodities, como o aço e o alumínio. O preço, no entanto, é pago por todos os países que mantém relações comerciais, pois essa tensão afeta também na oscilação das taxas de câmbio e, principalmente, nas moedas dos países subdesenvolvidos. O resultado negativo disso é a desaceleração do crescimento econômico global. Principalmente levando em conta a influência de ambas as potências nos processos de importação e exportação por todo o mundo.

  • Relações comerciais com o Brasil

Como um país emergente, o Brasil tradicionalmente exporta matéria-prima (commodities) e importa produtos para a comercialização (manufaturados). Nessa situação, a China se configura como uma das nossas principais parceiras econômicas, sendo a soja nossa principal mercadoria negociada.

Além disso, os Estados Unidos também são um grande comprador de produtos semimanufaturados brasileiros. A relação de importação e exportação entre Brasil, Estados Unidos e China movimenta bilhões. Graves acréscimo nos valores tarifários são capazes de causar um déficit em nossas operações internacionais.

 

Fonte: BBC News – https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44745494

Fique por dentro das principais notícias do comércio exterior, assine nossa newsletter e acompanhe nossas redes sociais.

Facebook: www.facebook.com/mastersul

Linkedin: www.linkedin.com/company/mastersul-comex

Instagram: www.instagram.com/mastersul_comex

 

RECEBA NOSSAS NOVIDADES.
INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER.