Artigo

Saiba como acontecem os pagamentos no Comércio Exterior

12 de julho de 2021
Blog > Saiba como acontecem os pagamentos no Comércio Exterior

Quando falamos em uma operação internacional, é preciso ter em mente que a negociação envolve no mínimo dois países diferentes. Ou seja, fusos horários divergentes, culturas diversas e, principalmente, outras moedas. E aí, você sabe como fechar essa conta?

Conheça as moedas conversíveis

Nesse sentido, existem as moedas conversíveis! Elas não recebem restrições no mercado internacional, são livremente aceitas por outros países e são reconhecidas como moedas fortes.

Quando um país possui estabilidade econômica, ele conquista a confiança de outras nações e do mercado financeiro. Com isso, a sua moeda pode ser vista como um bom negócio no mercado de câmbio e, portanto, pode se tornar uma moeda conversível.

Enquanto isso, existem também as moedas inconversíveis, que é quando o mercado financeiro ainda não reconheceu a economia de determinado país como estável. O Real, por exemplo, é inconversível devido ao fato de ser mais novo do que outras moedas mundialmente reconhecidas.

Principais moedas conversíveis

As moedas conversíveis são aquelas que costumam ser aceitas fora do seu país de origem. As mais conhecidas são o Dólar e o Euro, cambiáveis em praticamente qualquer lugar.

No entanto, existem outras que também são legalmente aceitas no mercado internacional, como:Coroa dinamarquesa;

_ Coroa norueguesa;
_ Coroa sueca;
_ Dólar canadense;
_ Dólar australiano;
_ Franco suíço;
_ Iene japonês;
_ Libra esterlina.

Pagamento do Brasil para o mundo

Bom, já que o Real não é uma moeda conversível você pode estar se perguntando: como é que o Brasil faz para pagar todo mundo?

A resposta para essa pergunta é mais simples do que parece e existem duas situações diferentes que você precisa saber:

1) É possível realizar o pagamento com o Real utilizando o Sistema de Pagamento em Moedas Locais (SML) nos seguintes países: Argentina, Uruguai e Paraguai.
2) Para outras ocasiões, existe uma ampla rede de opções: carta de crédito, pagamento antecipado, remessa sem saque e cobrança documentária.

Saiba como funciona cada uma dela:

Carta de Crédito: é conhecida por ser uma modalidade segura, que oferece garantias tanto para o importador como para o exportador. De modo geral, ela funciona assim:Importador solicita o crédito em um banco de seu país;

_O exportador é notificado pelo seu banco e providencia o embarque da mercadoria de acordo com a carta de crédito e suas especificações;

_O exportador envia a documentação e o país importador confere tudo para, então, liberar o crédito para pagamento.

Pagamento Antecipado: aqui, o importador efetua o pagamento antes de o exportador enviar o produto. Neste formato, o importador solicita a um banco em seu país o envio das divisas, que será remetido a um banco no país exportador. Nessa modalidade, o exportador providencia o contrato de câmbio antes do embarque.
Muitas operações com a China são feitas através do Pagamento Antecipado.

Remessa sem Saque: o importador recebe os documentos sem saque diretamente do exportador, promove o desembaraço aduaneiro das mercadorias e posteriormente, providencia o pagamento dos valores ao exterior.

Cobrança Documentária: neste formato, toda documentação de compra e venda é tramitada via banco. O exportador embarca a mercadoria e envia a documentação. O importador efetua o pagamento (que pode ser à vista ou a prazo) para retirar a documentação no banco e liberar a mercadoria na alfândega.

Interessante, não é mesmo? Acompanhe nosso blog e fique sempre por dentro das notícias e assuntos relevantes do Comércio Exterior.

RECEBA NOSSAS NOVIDADES.
INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER.