Artigo

Exportação de carne suína cresce 81% em junho

23 de julho de 2019
Blog > Exportação de carne suína cresce 81% em junho

No primeiro semestre de 2019, o Brasil apresentou números positivos com relação a exportação de carne suína. Só em junho, houve um aumento de 81% no volume de vendas da proteína, segundo dados da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal).

Desse montante, a maior parte seguiu para a China, que desde setembro de 2018 vem enfrentando uma situação delicada com a dizimação de mais de 1 milhão de porcos devido ao surto da Peste Suína Africana (PSA). Com isso, a necessidade do país asiático em substituir a carne de porco trouxe uma demanda adicional para o Brasil.

 

O QUE MOSTRAM OS DADOS

De acordo com dados disponibilizados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) e da ABPA, houve um aumento de 24% no volume de exportação de carne suína com relação ao mesmo período do ano passado.

O volume embarcado totalizou 340,8 mil toneladas no primeiro semestre de 2019. Segundo a ABPA, só no mês de junho, a exportação de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) registrou volume de 63,6 mil toneladas. Isso representa um crescimento de 81% com relação a junho de 2018.

Desse volume, o principal destino das exportações é a China, com 26,7% do total. O país asiático incrementou suas compras em 30,7%, com total de 91,2 mil toneladas de carne suína importada. A Rússia também é outro destino das exportações brasileiras, com 7,6% do total, o que representa 26,1 mil toneladas. Já na América do Sul, o Uruguai e o Chile foram destino de 21,2 mil toneladas e 21 mil toneladas respectivamente.

A receita também é positiva, marcando nesse primeiro semestre 2,67 bilhões de reais de faturamento para o país. Enquanto isso, em contrapartida, a China deve perder entre 25% e 35% do seu plantel dos seus animais até o final do ano.

 

O QUE ESPERAR A SEGUIR

A situação atual da China com a PSA não é permanente e o país já vem tomando medidas para reverter essa situação. Porém, devido à gravidade da ocasião, especialistas apontam que tal circunstância pode perdurar por mais um ano.

Com isso, o mercado brasileiro de exportação de carne suína encontra-se em um cenário favorecido para vendas durante 2019 e 2020.

A expectativa é que as vendas de frango também aumentem, já que apenas no mês de junho a venda da proteína aumentou 64% se comparado com o mesmo período de 2018.

Diante dos números, fica claro que é um ótimo momento para empresas que trabalham nos ramos dos suínos e aviários. Mas, para aproveitar o bom momento é importante se manter atualizado e contar com uma empresa especializada, capaz de entender a individualidade do seu negócio e desenhar operações internacionais inteligentes.

Por aqui, trabalhamos em cada etapa da sua exportação: desde os trâmites burocráticos do despacho aduneiro até a logística eficiente, com diferentes modais, que busca a sua carga na origem e entrega no destino com segurança e dentro do prazo estipulado.

Seja pelo céu, pelo mar ou pela terra: conte com a gente!

41 3024-0100 | contato@mastersul.com.br


Acompanhe nossos últimos artigos:

Saiba quais são as mudanças esperadas para os Incoterms 2020 – clique aqui
Por que contratar um seguro internacional de cargas? – clique aqui
Como ficou o Comex no novo Ministério da Economia sem o MDIC? – clique aqui

RECEBA NOSSAS NOVIDADES.
INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER.